15.5.18


Amor profano


Como não ter o desinteresse por desdém,
a distância por desprezo,
o silêncio por insulto,
consciente e deliberado?
A indiferença por humilhação?
Como saber de quem, depois de entrar,
nos cospe na cara e nos limpa ao lençol?