23.6.18

Índice anotado: Luís Filipe Castro Mendes


Se a poesia for uma forma afável de desculpar o mundo, 
importa perguntar que mundo será esse.